Sonhar faz parte dos nossos instintos e justamente ele que nos conduz a um horizonte promissor; pois o cotidiano e o rotineiro inibem as pessoas ao seu crescimento intelectual, e para a ciência o sonho é considerado uma experiencia de imaginação do inconsciente, e assim algumas pessoas possuem um forte instinto em materializar o seu sonho em realidade com extrema facilidade,  e para FREUD os sonhos são gerados na busca de uma realização do desejo oprimido.

A MATERIALIZAÇÃO DO SONHO ESTRATÉGICO:

A concepção do sonho em realidade depende de vários fatores; tais como a nossa razão de ser, nossos objetivos, metas, fortalezas e conhecermos nossas limitações, isto considerando o nossas percepções internas baseadas em nossas experiencias culturais e sociais que nos influenciam como vemos o mundo ao nosso redor; porém além das nosso estado de viver nos deparamos com influencias externas que podem ser positivas ou negativas, e o mais interessante que nem sempre o positivo nos favorece na concretização dos nossos sonhos e muitas das vezes as influencias “negativas” nos tiram da zona de conforto nos conduzindo a novos desafios.

Porém, a materialização é um processo árduo e continuo que depende de passos sequenciais e com critérios para que a “não materialização” se transforme em frustação.

Podemos entender que o planejamento é uma ferramenta que nos auxilia na materialização consistente das nossas ambições ou “sonhos”; pois planejar é uma estratégia em avaliar as nossas chances de sucesso num mundo em constante mudanças e cheios de desafios.

OS EMPRESÁRIOS:

Os empresários, por exemplo; possuem por natureza a ambição ao desconhecido na intenção de materializar seus sonhos em realidade; e quando isto acontece, eles passam a contribuir para a realização dos sonhos de outras pessoas, transformando assim um sonho inicial numa corrente imaginária evolutiva.

O “apetite ao risco” dos empresários é que promovem as mudanças na sociedade e estes nunca devem ser inibidos ou reprimidos, mas controlados e medidos para que suas ambições sejam materializadas de forma planejada e consistente.

TEORIAS DO PLANEJAMENTO:

Dentre diversas metodologias temos duas que se destacam: A teoria de mercado e a teoria do planejamento; A do mercado é baseada única e exclusivamente em percepções e leituras imediatista que tendem a se ajustar de acordo a lei da “oferta e da procura” e por sua vez o mercado pela sua característica imediatista nos pega de surpresa, pois na seu eficiência desconta e potencializa fatores que muitas das vezes nos passam desapercebidos devido a amplitude de fatores que interligam entre si.

Partindo do conceito que o mercado é ágil e que somos parte intrínseca deste processo; nada melhor do que avaliarmos nosso modelo de ser ou da nossa empresa para amenizarmos os impactos provenientes da “eficiência do mercado” e assim a teoria do planejamento assume um papel fundamental na gestão pessoal e financeira das pessoas físicas e das empresas.

O QUE É ESTRATÉGIA?:

Primeiramente podemos definir como ESTRATÉGIA um conjunto de escolha e de “não escolha” claramente definidas que nos promoverão a uma SINGULARIDADE; ou seja, quando decidimos a escolher o que realmente queremos ser através das nossas escolhas potencializamos nossas chances de sucesso em poder materializar nosso SONHO ESTRATÉGICO decorrente de um PLANEJAMENTO.

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:

Assim o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO é um processo que nos prepara e prepara a empresa para o que está por vir e dentre as principais contribuições a metodologia do PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO primeiramente nos questiona internamente:

  • ONDE ESTAMOS?
  • ONDE QUEREMOS IR?
  • COMO PODEMOS CHEGAR LÁ?
  • QUE DECISÕES DEVEMOS TOMAR PARA CHEGARMOS LÁ?
  • QUAIS SÃO AS NOSSAS FORÇAS, FRAQUEZAS, AMEAÇAS, LIMITAÇÕES E OPORTUNIDADES?

O DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO:

A primeira etapa denomina-se o DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO que consiste na avaliação de cenários internos e externos, para estabelecermos o controle e monitoramento dos fatores externos que também farão parte do processo de concretização.

Alguns sonhos promissores tornam-se em “pesadelos” pois na falta de coragem de AVALIAR CENÁRIOS de olhar o sistema como realmente ele é conduz a diversas empresas em viverem “sonhando” continuadamente num mercado “ágil” e esperto.

A GESTÃO EMPRESARIAL:

Em gestão empresarial planejar é uma estratégia para aumentar as chances de sucesso de uma empresa, em um mundo de negócio que muda constantemente e devemos ter em mente que o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO não é uma garantia de sucesso e ele será tão eficaz quanto as premissas que nele forem incluídas e o foco da CONTROLADORIA EMPRESARIAL.

O MODELO DE NEGÓCIO:

Conhecer e avaliar constantemente o modelo do negócio é fundamental para estabelecer a singularidade da empresa que por sua vez muda no decorrer do tempo, devido a entrada de novos concorrentes e mudança de hábitos dos nossos clientes e a SUNGULARIDADE ajuda a empresa na continuidade do mercado e as questões que nos ajudam na reflexão seriam:

  • Qual o nosso negócio?
  • Quais são os clientes que desejamos focalizar?
  • O que fazemos e porque somos os únicos?
  • Como vamos entregar nossos produtos ou serviços de um modo diferenciado?
  • Como encontra-se nosso capital intelectual?

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO e a MISSÃO DA EMPRESA:

Definida a singularidade o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO torna-se uma visão específica do futuro da empresa correlacionado a sua MISSÃO, VISÃO e VALORES.

DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO AO PLANEJAMENTO OPERACIONAL:

A transformação do PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ocorre na elaboração do PLANEJAMENTO OPERACIONAL ou simplesmente o ORÇAMENTO EMPRESARIAL (budget); uma ferramenta importante da CONTROLADORIA que através dos anseios determinados no PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO transforma as premissas definidas na ALTA GESTÃO EMPREESARIAL em metas de CURTO PRAZO visando conduzir a empresa a materialização do seu PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.

O MONITORAMENTO DO ORÇAMENTO EMPRESARIAL:

Uma vez aprovado o PLANEJAMENTO OPERACIONAL ou o ORÇAMENTO EMPRESARIAL  de acordo as diretrizes do PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO o realizado ou os objetivos alcançados passam apenas uma mera realização do planejamento e quando o cenário da realização não condiz com o previamente definido é porque o SONHO ESTRATÉGICO não teve condições de transformar-se em realidade; e antes que o SONHO se torne em PESADELO é importante através das análises dos desvios entre o PLANEJADO e o que vem acontecendo no REALIZADO a alta gestão da empresa tomar medidas corretivas

A FUNÇÃO DA CONTROLADORIA:

Finalizando podemos definir que a a Controladoria é a responsável pelo processo de planejamento e controle dos resultados operacionais. Sua missão é assegurar o resultado planejado da companhia.

CONTROLADORIA ESTRATÉGICA E OPERACIONAL

 

Compartilhe nas Redes Sociais