Melissa Santos, do Yhaoo Finanças destaca um outro esporte o BASQUETE e associa a interligação do mundo do esporte para o mundo corporativo, falando nada mais do que:

Earvin “Magic” Johnson alcançou todos os marcos que podia durante sua carreira como atleta. Foi cinco vezes campeão da NBA, três vezes eleito jogador mais valioso da liga, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1992. E, após deixar as quadras, se tornou ativista e fundador do Magic Johnson Enterprises.

Entre os 06 ensinamentos o rei da quadras destaca que a 1) Mentalidade vencedora em  sempre vencer e 2) fazer o melhor para seus companheiros e a 3) facilidade de lidar com 4) situações adversas lhe condicionou a ter 5) foco me melhorar sempre e tomando as melhores decisões com 6) positividade e disciplina.

“Faço duas vezes por ano essa análise em que eu identifico minhas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Assim, consigo saber onde posso melhorar”, afirma.

Visite a integra em:

https://br.financas.yahoo.com/noticias/6-ensinamentos-de-magic-johnson-para-vencer-nos-negocios-002019810.html

Mas antes, nossas contribuições complementares a entrevista:

O esporte leva consigo suas raízes e fundamentos que sem dúvida contribuem para nossa formação profissional e condução dos nossos negócios.

O que sempre me chamou atenção; é que nem sempre o “tamanho e porte físico” dos zagueiros nos campos de futebol determina o resultado de uma partida; mas a inteligência de um franzino atacante é que faz o resultado de um jogo e decidir a taça do campeonato; e que antes de marcar o “gol da partida” coloca o gigante defensor no chão e silenciar a torcida adversária no seu próprio campo.

Inteligência e não o tamanho sempre fizeram a diferença: Romário, Bebeto, Ronaldinho, Zico, Maradona, Pelé, Messi, etc.

Nas empresas o que vale não é o tamanho do seu prédio; dos investimentos nas máquinas e equipamentos e tão pouco os carros dos diretores; mas o que vale é o poder da “marca” um ativo intangível que tem força de gerar fluxo de caixa.

Empresas de maior valor nas BOLSAS DE VALORES que estão entre os destaques, são as do capital intelectual.

Em relação ao profissional do mundo corporativo; o que manda não é o “grito” do quem manda aqui sou eu; mas sim inteligência do franzino e recém contratado, que gradualmente vai construindo e agregando valor não nos braços; mas no cérebro.

Enquanto o “cabra macho” vão para a academia o intelectual além da academia também luta na vida para ingressar numa faculdade de “renome” ou numa grande empresa, e como a força não está somente no braço, procura e depende que alguém de confiança e de um estreito relacionamento, coloque a bola no pé; no minuto certo, desenvolvendo a sensibilidade e importância do trabalho em equipe.

Nas empresas a bola não mais é, do que a informação para a tomada de decisão.

Estabelecer relacionamentos é fundamental para o profissional corporativo.

Nossas dicas:

  1. Mantenha contato com os melhores alunos (as) da tua turma de faculdade;
  2. Faça uma afinidade com os teus professores e coordenadores do curso; eles que te indicarão ou validarão teu ingresso numa possível pesquisa de contratação;
  3. A escola que você foi aluno; um dia você poderá retornar como professor;
  4. Respeite teus superiores nas empresas; seja honesto e trabalhe com dedicação;
  5. Independente do salário que você ganha; trabalhe por adquirir conhecimento;
  6. A empresa é uma faculdade prática onde você recebe salário para aprender.

Ajude a divulgar nosso trabalho aos teus amigos: Um site direcionado em contribuir no conhecimento do público universitário e empresários. Temos conteúdo é gratuito.

Prof. Alexandre Wander

Compartilhe nas Redes Sociais