SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa firmava-se em queda nesta sexta-feira, em meio a ajustes de posições no último pregão de mais um mês de alta na bolsa brasileira, com a sessão marcada por noticiário corporativo forte e exterior volátil.

Nosso grifo:

EUA: O índice do dólar reverteu as perdas iniciais para negociar acima de 93 na sexta-feira, mas estava a caminho de uma queda de quase 4,2% neste mês, a maior queda mensal desde setembro de 2010, em meio a preocupações renovadas sobre a força da recuperação econômica nos EUA e a capacidade do país para controlar a pandemia. A economia encolheu em um ritmo recorde no segundo trimestre e as reivindicações iniciais de desemprego aumentaram pela segunda semana. A sugestão do presidente Trump de adiar a eleição em novembro também pesou no humor dos investidores. Enquanto isso, o Fed deve deixar as taxas próximas de 0% por um tempo, dizendo que a pandemia representa riscos para as perspectivas. De fato, o número de infecções está se aproximando de 4,5 milhões e o número de mortos ultrapassou os 150 mil. Na sexta-feira, os dados mostraram que os gastos do consumidor ajustados pela inflação aumentaram, mas permaneceram abaixo do nível pré-pandêmico.

Espanha: O IBEX 35 caiu 5,1% para 6.877 em julho, o menor fechamento desde 25 de maio, caindo 5,8% nesta semana, arrastado por uma nova onda de casos de coronavírus na região e dúvidas sobre uma recuperação econômica. Na sexta-feira, o IBEX 35 perdeu 119 pontos, ou 1,7%, depois que dados recentes mostraram que a economia da Espanha encolheu um recorde de 18,5% no trimestre nos três meses a junho, em comparação com as expectativas do mercado de uma contração de 16,6%, uma estimativa preliminar mostrou, como a pandemia de coronavírus levou aos mais estritos bloqueios de coronavírus da Europa. O primeiro-ministro espanhol Sanchez disse que o país deve se concentrar em sua recuperação econômica após a divulgação dos dados.

Brasil: O real brasileiro estava sendo negociado em torno de 5,19 contra o dólar, depois que os dados mais recentes mostraram que a dívida nacional do país subiu para um recorde de 85,5% do PIB em junho, o déficit orçamentário nominal aumentou para um recorde de BRL 210,1 bilhões e o orçamento primário registrou tempo de déficit de BRL 188,7 bilhões, com a crise do coronavírus atingindo as finanças do governo.

Às 11:59, o Ibovespa caía 1,1 %, a 103.855,2 pontos. Na máxima, mais cedo, chegou a subir a 105.462,13 pontos. O volume financeiro era de 10,5 bilhões de reais.

O Ibovespa acumula ganho de mais de 9% no acumulado de julho, o quarto mês consecutivo de alta, reduzindo as perdas no ano para cerca de 10%. Das mínimas do ano registradas em março, o índice contabiliza uma elevação de cerca de 70%.

Fonte: Reuthers

Por Paula Arend Laier

https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN24W2D8-OBRBS

Compartilhe nas Redes Sociais