O ano foi desafiador para a Iguatemi e para a economia como um todo, um ano em que tivemos que nos adequar rapidamente para fazer frente aos desafios de uma pendemia sem precedentes.

De acordo com o relatório anual do Iguatemi os impactos da COVID-19 afetou o negócio praticamente ao longo de todo o ano porem vem perdendo força desde o mês de maio, a medida que as operações foram retomadas.

O EBITDA atingiu $ 504 milhões decorrente de uma Receita líquida de $ 675 milhões e a margem bruta foi expressiva de 59%.

O caixa gerado das operações foi de $ 308 milhões e o índice Price to Earnings Growth de 6,10 e o Preço /VPA de 2,07 ainda baixo.

A Alavancagem Ativo/Patrimônio líquido de 2,18 resultando num FCO/EBITDA de 27,41 e a Dívida Liquida/EBITDA de 3,73 devido os novos ingressos de Capital de terceiros em 2020.

O consumo reprimido e a estabilidade do IGTA3 tudo indica a um ano promissor em 2021.

Isto é ANÁLISE FUNDAMENTALISTA

Prof. Alexandre Wander

Inscreva-se e compartilhe
https://www.instagram.com/p/CNYN_QQhuSh/?igshid=1k5w2org22077

Compartilhe nas Redes Sociais